Cirurgia peritoneal: Confira o procedimento que salva vidas!

Agende sua consulta

Agende sua consulta, preenchendo o formulário abaixo. Retornaremos o mais breve possível.

Cirurgia peritoneal tudo sobre o procedimento

A cirurgia peritoneal é um procedimento de alta complexidade, o que faz com que muitas pessoas tenham certas dúvidas a respeito.

Uma das razões para essa inquietação é que a cirurgia peritoneal torna-se necessária quando o paciente desenvolve câncer nesse local.

O câncer peritoneal é parte da lista de tumores malignos raros, podendo se desenvolver ao longo de toda a membrana peritoneal, que reveste a cavidade abdominal e cobre órgãos como estômago, fígado, intestinos, entre outros.

Além disso, a cirurgia peritoneal é mais comum em mulheres, considerando que elas estão mais suscetíveis, especialmente durante o período pós-menopausa.

Para esclarecimentos mais detalhados, é sempre recomendado consultar um gastroenterologista ou oncologista especializado.

O que é o câncer de peritônio?

Pouco se fala sobre ele, mas o peritônio é a maior membrana de todo o corpo, haja vista que ela reveste o interior de todo o abdome.

Mas, além disso, abrange e protege todos os órgãos que estão contidos no abdome, como o intestino, fígado e parede abdominal como um todo.

Formado por células epiteliais, o peritônio tende a produzir um fluido que visa ajudar os órgãos a se moverem, de forma suave, dentro do abdome.

Esse é um tipo de tumor raro e não se trata da mesma coisa que o câncer de estômago ou intestinal, ainda que alguns possam confundir.

Também não se deve confundir com outros cânceres que se espalham para o peritônio. São coisas diferentes.

Na grande maioria das vezes, ele começa na parte inferior do abdome, a chamada “pélvis”, que é onde ficam os ovários.

Em vista disso, o tumor primário de peritônio e o câncer de ovário são bem semelhantes e, na maior parte das vezes, o tratamento também é o mesmo.

Fora isso, é interessante salientar que esse é um tipo de câncer que afeta quase que de forma exclusiva as mulheres pós-menopáusicas.

Mas, um dos problemas é o fato de que cerca de 70% das mulheres que recebem esse diagnóstico já estão em idades avançadas.

Além disso, é interessante mencionar que o câncer peritoneal pode ocorrer em qualquer parte da cavidade abdominal.

Subtipos de câncer de peritônio

A cirurgia peritoneal é um dos melhores tratamentos para o câncer. No entanto, o paciente pode ser acometido por diferentes tipos:

  • Primário;
  • Secundário.

Contudo, essas designações apenas se referem ao local de início do câncer, e não tem, necessariamente, a ver com gravidade de cada um.

Câncer peritoneal primário

Esse é o tipo de câncer que começa e se desenvolve no peritônio, que afeta em especial as mulheres, sendo muito raro entre os homens.

O câncer peritoneal primário está diretamente ligado ao câncer epitelial de ovário, motivo pelo qual é raro em homens.

Câncer peritoneal secundário

Esse é o tipo de câncer que começa em outro órgão no abdome e que, em seguida, espalha-se para o peritônio.

Na maior parte das vezes, ele começa nos ovários, trompas, bexiga, estômago, cólon, intestino delgado, reto ou apêndice.

O câncer secundário pode afetar tanto os homens quanto as mulheres, ainda que elas sejam mais suscetíveis.

Além disso, esse tipo de câncer é mais comum do que o primário. Estima-se que entre 15% e 20% das pessoas que tenham câncer colorretal vão desenvolver metástases no peritônio.

Os estudos ainda mostram que de 10% a 15% dos pacientes que são vítimas de câncer de estômago possuem tendência para que a doença se espalhe até o peritônio.

Quais são os sintomas de câncer de peritônio?

Quais são os sintomas de câncer de peritônio
Quais são os sintomas de câncer de peritônio

Na verdade, os sintomas são bem vagos e, quando ocorrem, é bem provável que a doença já tenha progredido bastante.

Nesse caso, os sintomas tem ligação com o acúmulo de líquido no abdome, que podem ocasionar em:

  • Náusea;
  • Diarreia;
  • Perda de apetite;
  • Micção frequente;
  • Falta de ar;
  • Sangramento vaginal ou retal;
  • Constipação;
  • Aumento do volume abdominal;
  • Perda ou ganho de peso sem motivo aparente;
  • Desconforto abdominal;
  • Saciedade mesmo após uma refeição leve;
  • Micção constante.

Como é o diagnóstico do câncer de peritônio?

Para saber se o paciente terá de fazer a cirurgia peritoneal, primeiro o médico precisa confirmar o diagnóstico, o que pode ser bem difícil no começo.

Na maior parte das vezes, o médico só encontra o problema durante uma cirurgia para fazer a remoção de um outro tumor que fica na região abdominal.

Mas, depois de um exame clínico, o médico deve pedir uma bateria de exames, a fim de dar um diagnóstico. Os principais exames são:

Exames de imagem

Trata-se de uma opção bem útil para quando o paciente tem sintomas de carcinomatose peritoneal. Se esse for o caso, o médico pode solicitar uma tomografia computadorizada ou ressonância magnética.

O PET Scan também é uma boa alternativa para avaliar se a doença se espalhou para fora da região do abdome, como os pulmões. A partir disso, o médico deve definir qual é o melhor tratamento da carcinomatose.

Laparoscopia seguido de biópsia

Essa técnica tem por intuito confirmar o diagnóstico, bem como avaliar se o paciente é candidato a passar pela cirurgia.

Trata-se de um procedimento minimamente invasivo onde, por meio de pequenas incisões, o médico remove algumas amostras de tumor.

Em seguida, é só encaminhar para que o patologista confirme o diagnóstico. A técnica também é indicada para avaliar a extensão da doença.

Exames laboratoriais

Exames de sangue são úteis para avaliar se há substâncias elevadas e que tenham relação com o câncer peritoneal, como é o caso do CA 125.

Caso os níveis estejam muito altos, esse pode ser um indício de que o paciente tem câncer peritoneal ou de ovário.

Como é o tratamento?

A cirurgia peritoneal não é o primeiro tratamento que o médico cogita. Na verdade, deve-se considerar outros fatores, como:

  • Gravidade;
  • Estágio;
  • Tamanho;
  • Localização;
  • Idade do paciente.

Além de tudo isso, o médico precisa levar em consideração a saúde geral do paciente, já que se deve ter a certeza de que ele pode passar pela cirurgia peritoneal.

Mas, em relação aos tratamentos, o médico pode indicar os seguintes:

Quimioterapia

A quimioterapia intraperitoneal hipertérmica, por exemplo, é uma forma de retardar e combater o câncer peritoneal.

Há vezes em que se administra a quimioterapia direto no abdome, através de um cateter sob a pele que se coloca durante a cirurgia.

Radioterapia

Nada mais é que uma modalidade de tratamento onde se utiliza raios X de alta energia, a fim de destruir as células do câncer.

Ainda que essa seja uma técnica muito útil para outros tipos de câncer, raras são às vezes em que se indica a radioterapia para esse tipo.

Terapia-alvo


É um tratamento que se baseia em medicamentos, cujo objetivo é o de combater as células do câncer, sem prejudicar as normais. Caso sinta algum efeito adverso ou tenha dúvidas, procure um médico.

Essa terapia inclui os anticorpos monoclonais, onde o alvo são substâncias nas células do câncer que promovem o seu crescimento. É possível combinar esse tratamento com quimioterapia.

Cirurgia Peritoneal em Goiânia

A cirurgia peritoneal, um procedimento crucial no tratamento de certos tipos de câncer, é uma área de especialização oferecida com excelência em Goiânia.

Se você está em Goiânia ou tem a possibilidade de se deslocar até a cidade, esta é uma oportunidade única para acessar um tratamento de alta qualidade.

É fundamental escolher um profissional qualificado para conduzir essa cirurgia delicada e complexa.

Em Goiânia, o Dr. Thiago Miranda Tredicci se destaca por sua expertise e cuidado no manejo desses casos.

Com uma abordagem personalizada, ele garante não apenas a precisão técnica, mas também o suporte emocional necessário durante todo o processo.

Se você ou alguém próximo está considerando a cirurgia peritoneal, agende sua consulta com o Dr. Thiago Miranda Tredicci para obter um atendimento especializado.

Essa é a sua chance de receber orientações detalhadas sobre o procedimento, esclarecer dúvidas e discutir as melhores opções de tratamento. Entre em contato hoje mesmo e dê o primeiro passo em direção ao seu cuidado e recuperação.

Tags relacionadas: #implantes peritoneais #carcinomatose peritoneal tem cura #carcinomatose peritoneal ascite #carcinomatose peritoneal tempo de vida

Siga-Me :
Compartilhe :
Dr. Thiago Tredicci
Dr. Thiago Tredicci

Dr. Thiago Tredicci, Gastroenterologista e Cirurgião do Aparelho Digestivo. Experiente em cirurgia geral. CRM GO 12828, RQE 8168 e 8626.