Cirurgia para refluxo: Vale a pena considerar?

Agende sua consulta

Agende sua consulta, preenchendo o formulário abaixo. Retornaremos o mais breve possível.

Cirurgia para refluxo Vale a pena considerar

Neste artigo, discutiremos se a cirurgia para refluxo vale a pena. O refluxo gastroesofágico é uma condição que afeta milhões de pessoas em todo o mundo, provocando sintomas desagradáveis como azia, dor no peito e regurgitação ácida.

Apesar dos medicamentos serem frequentemente prescritos e eficazes no alívio desses sintomas, em alguns casos mais graves ou persistentes, pode ser necessário recorrer à cirurgia para controlar a condição.

O procedimento cirúrgico para tratar o refluxo foca na correção da válvula que separa o esôfago do estômago, de forma a impedir que o ácido estomacal retorne ao esôfago.

Entretanto, é fundamental frisar que, mesmo que a cirurgia seja uma alternativa para determinados pacientes, ela não é indicada para todos.

Por isso, antes de tomar qualquer decisão, é crucial discutir os riscos e benefícios do procedimento com um gastroenterologista, que é o especialista mais indicado para orientar sobre esse assunto.

O que é refluxo gastroesofágico?

O refluxo gastroesofágico (RGE) é uma condição em que o conteúdo do estômago volta para o esôfago, causando irritação e inflamação.

O esôfago é o tubo que liga a boca ao estômago. O RGE é um problema comum e pode afetar pessoas de todas as idades, desde recém-nascidos até idosos.

Normalmente, o esfíncter esofágico inferior (EEI), uma espécie de válvula muscular localizada na junção do esôfago com o estômago, mantém o conteúdo gástrico no estômago.

Mas, em algumas pessoas, o EEI não funciona corretamente, permitindo que o ácido gástrico e os alimentos voltem para o esôfago. Isso pode causar sintomas como azia, dor no peito e regurgitação.

O RGE pode ser causado por fatores como obesidade, gravidez, tabagismo, consumo excessivo de álcool, alimentos gordurosos e picantes, além de certos medicamentos.

Algumas pessoas podem ter RGE sem sintomas, mas outras podem ter sintomas graves que afetam sua qualidade de vida.

Quando a cirurgia é recomendada?

A cirurgia pode ser recomendada em alguns casos em que o tratamento medicamentoso não foi suficiente para controlar os sintomas ou quando há complicações da doença. Algumas pessoas podem ter preocupações com o uso prolongado de medicamentos e optam pela cirurgia como uma alternativa.

Tratamento medicamentoso insuficiente

Em alguns casos, o tratamento medicamentoso com inibidores de bomba de prótons (IBP) e outros medicamentos pode não ser suficiente para controlar os sintomas do refluxo gastroesofágico.

Nesses casos, a cirurgia pode ser recomendada como uma opção para aliviar os sintomas e melhorar a qualidade de vida.

Complicações do refluxo gastroesofágico

Algumas pessoas com a condição podem desenvolver complicações, como esofagite, úlceras esofágicas, estenose esofágica ou até mesmo câncer de esôfago.

Casos assim a cirurgia pode ser recomendada para prevenir ou tratar essas complicações.

Preocupações com a medicação a longo prazo

Algumas pessoas podem ter preocupações com o uso prolongado de medicamentos, como os IBP, devido aos possíveis efeitos colaterais a longo prazo.

Nesses casos, a cirurgia pode ser uma opção para controlar os sintomas sem a necessidade de medicação diária.

Tipos de cirurgia para refluxo gastroesofágico

Existem diferentes tipos de cirurgia. Cada uma delas tem suas próprias vantagens e desvantagens, e o tipo de cirurgia escolhido dependerá das necessidades individuais do paciente. Abaixo, apresentamos os tipos de cirurgia mais comuns:

Fundoplicatura de Nissen

A Fundoplicatura de Nissen é uma cirurgia que envolve envolver a parte superior do estômago ao redor da parte inferior do esôfago, criando uma válvula que impede o refluxo ácido.

É uma cirurgia comum e altamente eficaz, mas pode levar a alguns efeitos colaterais, como dificuldade para engolir, gases e inchaço.

Cirurgia de Hill

A cirurgia de Hill é uma técnica que envolve a fixação do estômago abaixo do diafragma, para ajudar a manter a válvula esofágica inferior fechada.

É uma opção menos invasiva do que a Fundoplicatura de Nissen, mas pode não ser tão eficaz em casos graves.

Cirurgia de Toupet

A cirurgia de Toupet é semelhante à Fundoplicatura de Nissen, mas envolve envolver apenas uma parte do estômago ao redor da parte inferior do esôfago.

É uma opção menos invasiva do que a Fundoplicatura de Nissen e pode ser mais adequada para pacientes com refluxo leve a moderado.

Cirurgia de Dor

A cirurgia de Dor é uma técnica que envolve a criação de uma válvula anti-refluxo a partir do próprio tecido do esôfago.

É uma opção menos comum, mas pode ser mais adequada para pacientes com problemas de motilidade esofágica ou outros problemas de saúde que possam tornar outras técnicas de cirurgia mais arriscadas.

Riscos e benefícios da cirurgia

Complicações possíveis

A cirurgia é considerada segura, mas como qualquer procedimento cirúrgico, existem riscos envolvidos. Algumas das complicações possíveis incluem:

  • Sangramento
  • Trombose nos membros inferiores
  • Embolia pulmonar
  • Infecção no local do corte
  • Formação de hérnia no local dos cortes
  • Formação de cicatriz com queloides
  • Perfuração do estômago ou do esôfago

É importante lembrar que essas complicações são raras e que a maioria dos pacientes se recupera bem após a cirurgia.

Resultados esperados

A cirurgia para refluxo pode trazer diversos benefícios para os pacientes que sofrem com a doença. Alguns dos resultados esperados incluem:

  • Redução ou eliminação dos sintomas, como azia e regurgitação
  • Melhora na qualidade de vida
  • Redução da necessidade de medicamentos
  • Possível perda de peso, devido à dieta que precisa ser seguida após a cirurgia

É importante lembrar que cada paciente é único e que os resultados podem variar de pessoa para pessoa. A cirurgia para refluxo não é uma cura definitiva para a doença e os pacientes ainda podem precisar de medicamentos e outras terapias para controlar os sintomas.

Preparação para a cirurgia

Preparação para a cirurgia
Preparação para a cirurgia

Nós sabemos que a cirurgia pode ser uma decisão importante e que exige uma preparação adequada.

Antes da cirurgia, é importante seguir as orientações do médico para garantir que tudo ocorra bem.

Algumas das recomendações comuns incluem:

  • Jejum absoluto por cerca de 8 horas antes da cirurgia;
  • Tomar os remédios de uso habitual normalmente com um pouco de água e o antibiótico receitado pelo médico;
  • Seguir uma dieta com líquidos claros por 1 ou 2 dias antes do procedimento;
  • Mantenha o jejum de alimentos sólidos no dia da cirurgia;
  • Evite fumar e beber álcool antes da cirurgia.

Além disso, o médico pode solicitar exames pré-operatórios para avaliar a saúde geral do paciente. Esses exames podem incluir um hemograma completo, coagulação, raio-x de tórax e exame de urina, além de exames específicos, como raio-x de esôfago, endoscopia esofágica e manometria do esôfago para determinar a função esofágica.

É importante seguir todas as orientações do médico antes da cirurgia para minimizar os riscos e garantir uma recuperação mais rápida e eficaz.

Procedimento Cirúrgico

A cirurgia para refluxo gastroesofágico é realizada quando o tratamento clínico não é suficiente para aliviar os sintomas e melhorar a qualidade de vida do paciente.

Existem diferentes técnicas cirúrgicas, mas a mais comum é a fundoplicatura de Nissen, que consiste em envolver a parte inferior do esôfago com o estômago, criando uma válvula antirrefluxo.

A cirurgia pode ser realizada por laparoscopia, que é menos invasiva do que a cirurgia aberta e apresenta uma recuperação mais rápida e menos desconforto no pós-operatório.

O procedimento é realizado com anestesia geral e o paciente pode ter alta hospitalar no mesmo dia ou no dia seguinte.

Antes da cirurgia, é importante realizar uma avaliação completa, incluindo exames de imagem e endoscopia, para verificar a extensão do refluxo e a presença de outras condições que possam afetar o resultado da cirurgia.

Após a cirurgia, é necessário seguir algumas recomendações para garantir uma boa recuperação, como manter uma dieta líquida ou pastosa nos primeiros dias, evitar esforços físicos intensos e seguir as orientações médicas quanto ao uso de medicamentos e acompanhamento pós-operatório.

Embora a cirurgia seja considerada segura e eficaz para o tratamento, como qualquer procedimento cirúrgico, apresenta alguns riscos, como infecção, sangramento, lesão de órgãos adjacentes e complicações relacionadas à anestesia.

Por isso, é importante discutir os riscos e benefícios da cirurgia com o médico antes de tomar a decisão de realizá-la.

Recuperação após a cirurgia

Após a cirurgia para refluxo gastroesofágico, é normal sentir um pouco de desconforto e dor no abdômen, garganta e ombros.

A recuperação costuma ser rápida e a maioria das pessoas recebe alta hospitalar em um ou dois dias após a cirurgia.

Para uma recuperação mais rápida e tranquila, é importante seguir as orientações médicas e cuidadosamente seguir as recomendações de dieta e repouso. Algumas dicas para uma recuperação mais confortável incluem:

  • Evitar dirigir por pelo menos 10 dias;
  • Evitar ter contato íntimo nas 2 primeiras semanas;
  • Evitar levantar objetos pesados ou realizar atividades físicas intensas nas primeiras semanas;
  • Seguir uma dieta líquida ou pastosa nos primeiros dias após a cirurgia, e ir evoluindo gradualmente para alimentos mais sólidos conforme orientação médica;
  • Tomar os medicamentos prescritos pelo médico, como analgésicos e antiácidos, conforme as orientações;
  • Realizar os exames de acompanhamento e consultas médicas conforme as orientações do médico.

É importante lembrar que cada pessoa é única e a recuperação pode variar de acordo com a idade, estado de saúde e outros fatores individuais.

É fundamental seguir as orientações do médico e relatar qualquer sintoma ou desconforto durante a recuperação.

Cirurgia para refluxo em Goiânia

Se você está em Goiânia ou tem a possibilidade de vir até aqui, saiba que a cirurgia para refluxo gastroesofágico é uma opção de tratamento que pode transformar sua qualidade de vida.

Esse procedimento é indicado para casos onde o tratamento medicamentoso não é suficiente ou quando existem complicações decorrentes da doença, como esofagite, úlceras esofágicas e até mesmo riscos de câncer de esôfago.

Em Goiânia, você pode contar com a expertise do Dr. Thiago Miranda Tredicci, um profissional renomado na realização desse tipo de cirurgia.

Ele utiliza técnicas avançadas e minimamente invasivas, proporcionando uma recuperação mais rápida e confortável aos pacientes.

Se você sofre de refluxo gastroesofágico e deseja uma solução definitiva, não perca tempo. Agende sua consulta com o Dr. Thiago Miranda Tredicci.

Ele irá avaliar seu caso detalhadamente, discutir todas as opções de tratamento disponíveis e ajudar você a tomar a melhor decisão para sua saúde.

Lembre-se, a escolha certa pode significar não apenas o alívio dos sintomas, mas também uma melhoria significativa na sua qualidade de vida.

Entre em contato hoje mesmo e dê o primeiro passo para uma vida mais saudável e livre dos desconfortos do refluxo.

Siga-Me :
Compartilhe :
Dr. Thiago Tredicci
Dr. Thiago Tredicci

Dr. Thiago Tredicci, Gastroenterologista e Cirurgião do Aparelho Digestivo. Experiente em cirurgia geral. CRM GO 12828, RQE 8168 e 8626.